Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma vida igual a outras

Aqui nada se escreve, tudo se transforma... Uma história de vida igual a outras...

Uma vida igual a outras

Aqui nada se escreve, tudo se transforma... Uma história de vida igual a outras...

O papel do Pai na Amamentação

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5223917836862262274" />


Actualmente falamos muito em Aleitamento Materno mas sempre na perspectiva da Mãe. No entanto, penso que é importantíssimo incluír o pai neste processo.
Em Portugal sabemos que apenas 40% das mães atinge 6 meses de aleitamento materno (ainda que cada vez mais as recomendações da Organização Mundial de Saúde sejam divulgadas: 6 meses de amamentação em exclusivo e complementar até aos 2 anos ou mais) .

As causas que levam a esmagadora maioria das mães a desistir da amamentação prendem-se com a insegurança, a falta de informação e a crença de que o seu leite não é suficiente em quantidade ou qualidade para alimentar o bebé.

Posto isto, o pai desempenha aqui um papel fundamental na transmissão de segurança à sua companheira. Se o próprio pai do bebé não for o primeiro a incentivar a amamentação e a conhecer os seus benefícios, a mãe sentir-se-à muito menos confiante.

Deixo-vos, então, um belíssimo texto do pediatra Marcus Renato[1] sobre a participação do pai neste período tão importante na vida do bebé e da sua mãe:


Dez Passos para a participação efectiva e afectiva do PAI no apoio ao Aleitamento Materno

1. Encoraje e incentive a sua mulher a amamentar: Por vezes ela pode estar insegura da sua capacidade de aleitar. O seu apoio será fundamental nessas alturas.

2. Divida e partilhe as mamas da sua mulher com o bebé: Mesmo que seja difícil aceitar, lembre-se que a amamentação é um período passageiro. Dê prioridade ao seu filho(a).

3. Sempre que possível, participe do momento da amamentação: A sua presença, carícia e toque durante o acto de amamentar são factores importantes para a manutenção do vínculo afectivo do trinómio mãe+filho(a)+pai.

4. Seja paciente e compreensivo: No período de amamentação é pouco provável que a sua mulher possa manter a casa, as refeições e o seu próprio aspecto de formas impecáveis. As necessidades do recém nascido são prioridades nesta fase.

5. Sinta-se útil durante o período de amamentação: Coopere nas tarefas do bebé na medida do possível: trocar fraldas, ajudar no banho, vestir, embalar, etc. Quando a mãe estiver a amamentar, ofereça-lhe um copo de sumo de frutas ou de água, ela vai adorar!

6. Mantenha-se sereno: Embora o aleitamento traga muitas alegrias, também traz muitas dificuldades e cansaço. Por vezes a sua mulher pode ficar impaciente. Mostre carinho e compreensão neste momento. Evite discussões desnecessárias para não prejudicar psicologicamente a descida do leite.

7. Procure ocupar-se mais dos outros filhos (se os tiverem): Para que não se sintam rejeitados com a chegada do nov(a)o irmã(o). Isto permitirá à sua mulher dedicar-se mais ao recém-nascido.

8. Mantenha o hábito de acariciar as mamas da sua mulher: Se costumava fazê-lo. Estudos demonstram que quanto mais uma mulher é sensível às carícias do companheiro, mais reagirá à estimulação rítmica de seu bebé.

9. Fique atento às variações do apetite sexual da sua mulher: Algumas mulheres reagem com um aumento da libido, outras com uma diminuição, são alterações normais. Esta é a ocasião para o casal vivências novas experiências e hábitos sexuais, adaptando-se ao momento.

10. Não traga para casa latas de leite, biberões ou chuchas: O sucesso deste período, em grande parte depende, da sua atitude. O Aleitamento Materno exclusivo até aos seis meses e o seu carinho são tudo o que o bebé necessita para crescer inteligente e saudável.

O Pai na Amamentação, por Dr. Marcus Renato

Alexandre - e uma história engraçada para ser partilhada

Na passada quinta feira aconteceu-nos uma cena que me deixou a mim e as pessoas que estavam comigo a pensar....
Estavamos eu e o alex e mais uns amigos num cafe ca da zona a ver o futebol portugal-republica checa, quando chegou um gajo podre de bebado acompanhado com um amigo ao cafe e se sentou a minha frennte, o gajo passava-se berrava sozinho dava saltos por varias vezes que não se sentou em cima do meu colo e passava a vida a olhar para nos e a pedir desculpas !!! Ate que ao meio do jogo o alex se passou e trocou de lugar comigo pois estava com medo que leva-se uma cotovelada na barriga, o gajo apesar de estar como um "cão" apercebeu-se que não estavmos nada contentes e começou a meter conversa com o alex e a mostrar as fotos da filha dele, e a frisar cinquenta mil vezes aos altos berros no cafe que ter visto a filha nascer foi um dos dias mais felizes da vida dele... e voltava a insistir... e fez prometer o alex quase de joelhos que iria assistir ao parto pois era uma experiencia unica e inacreditavel, o alex estava estupfacto, o gajo caia para o chão, batia contra as portas ate que se lebrou de acender um cigarro no café que lhe deu direito a expulsão por parte do dono...
Conclusão, não vimos nada do jogo pois os saltos do gajo impediram de ver e a voz impediu de ouvir, mas uma coisa é certa ele deixou bem frisado por muito bebado que estivesse "ver um filho nascer é uma das mais belas imagens que podemos ter na vida"

O Alexandre ainda hoje não se cala com isto... Ele bem tenta fugir a hora H mas será que depois desta conversa com o tal bebado ele vai mudar de ideias???

Insonias II

São precisamente 1h54 da manha e estamos aqui as duas em frente ao pc depois de varias tentativas para dormir, tentativas essas falhadas ate ao momento, vamos ver se o sono vem e tanto eu como a minha bebezinha temos uma noite tranquila...
O papa já ressona (o que ajuda e muito nas tentativas para dormir).
Estou muito ansiosa, e com o passar dos dias os nervos invadem-me e torturam-me se dó nem piedade.
Estamos a chegar ao fim de uma viagem que durou nove meses, a mais fantástica viagem que nós seres humanos podemos viver........
Todos os meus medos se unem em um só, será a minha filha perfeita e saúdavel? rezo todos os dias a deus que me de essa alegria de viver, já me concedeu uma delas, esta gravidez!
Por ti minha filha, por ti faria o impossivel!

Amo-te tanto bebe...

Que o amor do pai e da mae façam de ti a bebe mais feliz do mundo!

Dia De consulta

Eu vi-te bebe!! Ontem vi-te tão bem, vi todos os contornos da tua cara (que nunca deixara ver) o Nariz Lindo gordinho como o do pai, os lábios carnudos (como os do pai mau mau), As orelhinhas bigs como as do avô! hehe (esta parte estou a brincar, mas nunca se sabe).
Pois é e a minha filhota esta a crescer bem....
A médica diz que tenho pouco liquido mas o pouco que tenho que é muito bom.
A bebe pesa neste momento 2744g não esta gorda esta normal....
Pelas medidas da eco da-me 36 semanas e 5 dias, o que é normal as ecos darem mais tempo, mas pelas contas da médica ontem estava de 34 semanas e 5 dias, pela conta da enfermeira que me acompanha e do medico de familia (que é a data certa a meu ver e pelas minhas contas) ontem completava as 35 semanas.
Com esta confusão toda a miuda ainda se vai lembrar de nascer a 29-06-2008 (uma das datas previstas pelo eco) o que não me agrada pois se Portugal for a Final eu quero ver o jogo!!!
Beijinhos para todas !!!
Ah o meu peso : 79,4 (como já me tinha dado na farmacia) e tensões 12/8

Subsidio de Maternidade

Atribuído em situação de impedimento para o trabalho da beneficiária, por motivo de licença de maternidade, durante:

- 120 dias seguidos, 90 dos quais a seguir ao parto.
Este período é acrescido de 30 dias, por cada gémeo, além do primeiro, em caso de nascimentos múltiplos. A trabalhadora pode optar por 150 dias seguidos, de licença por maternidade, sendo o acréscimo (30 dias) gozado depois do parto.

- 14 a 30 dias, conforme prescrição médica, no caso de aborto. Em caso de risco clínico para a trabalhadora ou para o nascituro, o subsídio é atribuído antes do parto, durante o período necessário para prevenir esse risco, mediante prescrição médica.

Montante

- 100% da remuneração de referência;
- 80% da remuneração de referência, nas situações de opção pela licença de maternidade de 150 dias seguidos. No caso de nascimentos múltiplos, no período de 30 dias, acrescido por cada gemelar além do primeiro, o valor do subsídio é de 100% da remuneração de referência.

Limite mínimo: 50% do valor do Indexante dos Apoios Sociais - IAS (1).

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D