Aqui nada se escreve, tudo se transforma... Uma história de vida igual a outras...

12
Jun 13

O texto abaixo que se segue foi escrito para um artigo de uma revista.

Não sei quem foi o autor, porém decidi compartilhar com vocês, porque transcreve muito daquilo que passei, e penso que serve de reflexão para todos nós, no amor não vale tudo, no amor não temos direito de aprisionar a outra vida a nós, porque nínguém é de ninguém, não temos o direito de tomar posse da outra pessoa para satisfazermos os nossos caprichos. Porque nunca resulta.

 

"Eis que um belo dia conhecemos uma pessoa simpática carinhosa, dedicada, companheira e nos apaixonamos. A vontade é tão grande de ficar com essa pessoa, que a queremos para nós o máximo de tempo possível e dedicarmos toda nossa atenção.

Mas temos o direito de fazer isso? chegando sem perceber a tomar posse do tempo e da atenção da pessoa? E com as outras pessoas que convivemos, será que não temos a mesma atitude?

Querer deter a presença da pessoa, a qual dizemos amar, é um dos erros mais graves que se pode cometer dentro de uma relação, seja ela entre amores, amizades, pais e filhos, irmãos etc. Essa atitude é própria dos ciumentos e possessivos, que carregam um sério problema de autoestima e complexo de inferioridade. Cobram toda atenção e valorização dos outros, porque não conseguem dar essas coisas a si mesmos. Pelo fato de não se sentirem completos e de não viverem de forma saudável, acabam escravizando e sendo escravos de suas relações. E acabam se anulando para viver esta situação; Se sabemos que isto afasta as pessoas de nós, ficar prendendo e se prender demais em alguém, que destrói o amor que possam ter por nós, por que então algumas pessoas insistem em sufocar quem amam? O amor verdadeiro não aguenta! Se o amor verdadeiro só faz o bem, suas manifestações não deveriam representar liberdade, leveza e um completo bem-estar? Devemos então procurar equilibrar o sentimento que queremos colocar para fora, deixar de insistir em chamar a atenção para nós e deixar que queiram estar conosco. Que a pessoa sinta uma saudade gostosa e tenha vontade de estar em nossa companhia. Não é contraditório declarar um sentimento genuíno a uma pessoa e, ao mesmo tempo tentar impedir que ela viva de uma maneira livre e saudável? Imposições, cobranças, regras são instrumentos eficazes, mas que nas relações que envolvem afeto, carinho, amor, são cruciais para destruir qualquer vínculo que queremos manter. Inútil esperar o sucesso numa aproximação com as pessoas onde um delimita o espaço do outro, como se fosse seu próprio dono. Muitos agem assim, na ilusão de segurar uma relação. Não sabem, entretanto, que tal atitude costuma ter efeito contrário. Quanto mais se tenta prender, mais se contribui para a afastar a todos, por maior que seja o carinho que tenham. Afinal, a solidez e segurança de uma relação se dá pela troca afetiva, pela confiança, cumplicidade e respeito mútuo e não pelo aprisionamento, não é mesmo? Por mais que se queira, ninguém é de ninguém e ponto final. Às vezes até queremos nos justificar pelos nossos atos, vigiando, questionando, cobrando, seja por um medo de uma situação do passado, por uma atitude que a pessoa teve consigo, alguém que te magoou ou mesmo pela nossa própria insegurança de não confiar que possam nos amar. Dentro de uma relação amorosa, diante deste “aprisionamento” é comum surgirem as traições, trazendo então muita mágoa e tristeza. Aí vem a velha frase: “eu me dediquei tanto e fiz tudo por esta pessoa”... Faça pelo prazer de conviver com quem você ama e não esperando retribuição nem que só tenha olhos para você, mas para viver em harmonia com todos que você ama e queira ser amada. Porque, quem tenta prender uma pessoa perto de si, sem perceber acaba preso também e não vivendo mais sua própria vida, tornando-se dependente de sentimentos. Inferniza o outro e a si mesmo, porque não tem independência e se fixa de tal maneira tão cega como se o mundo fosse o da outra pessoa. Portanto, pensem bem em suas relações e o modo que se trata a si e às pessoas, porque um sentimento verdadeiro não necessita sugar a energia e a força do ser amado. O movimento saudável e harmonioso de uma relação deve acontecer de modo bem diferente, sem ditadura e imposições. Ninguém precisa se anular ou perder a individualidade em função de um relacionamento ou, pelas incertezas e inseguranças que se tem dentro de si. Muito menos o contrário, é claro: se isolar do mundo, com medo e não compartilhar a vida a dois. Grande parte das pessoas perde tempo e energia com pequenas coisas e com suas próprias inseguranças e se esquece do principal: investir na relação, valorizando o parceiro, dando atenção, cuidado e buscando atender suas necessidades. Se a relação for bem semeada e bem regada, dia a dia, com carinho na medida, verá que terá o amor ao seu lado como precisa. Amor não é comércio, não se compra, não se negocia, simplesmente se troca. Por isso ame, sem tomar posse deste sentimento."

publicado por Cris às 13:08

1 comentário:
"Grande parte das pessoas perde tempo e energia com pequenas coisas e com suas próprias inseguranças e se esquece do principal" acho que está tudo dito
Catarina Watson. a 12 de Junho de 2013 às 14:15

Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
15

16
17
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


comentários recentes
Ahah pior, isso é notícia?
Ola francisco.Posso sim, manda-me um email para cr...
podes dar mais informações sobre hotel , rent-a-ca...
Ando perdida nos desafios... prometo que respondo ...
Cris! http://desafiosedesabafos.blogs.sapo.pt/lieb...
hahahahaha muita bom :)
estas noticias!!!!!!!!
ba da gla bu ma po?ou então lê versos de shakespea...
Isso acabou por acontecer na mesma noite que coloq...
Deve ser mais isso!!!!
Mensagens
Posts mais comentados
16 comentários
12 comentários
9 comentários
7 comentários
6 comentários
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO